Serviço de Verificação de Óbito (SVO) da Prefeitura de Mossoró atende 65 cidades da região

A prefeita Rosalba Ciarlini visitou na manhã desta quarta-feira (13) o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) que vem esclarecendo as causas de mortes naturais mal definidas em Mossoró e outras 64 cidades das regiões Oeste, Alto Oeste e Vale do Assú. A Prefeitura vem assegurando as condições necessárias de corpo técnico e insumos para o funcionamento de referência do SVO de Mossoró.

Na condição de profissional da área médica, a prefeita Rosalba destacou que o SVO foi uma das prioridades ao reassumir a Prefeitura. “Como médica, sei da importância de ter um equipamento desse na nossa cidade que ajuda ao Município a identificar as causas de mortes naturais. Quando assumi a Prefeitura pedi para dar atenção especial ao SVO. Antigamente era muito difícil dar um atestado de óbito mais preciso, hoje o SVO faz isso com maestria”, destacou Rosalba.

A secretaria de Saúde, Saudade Azevedo, destacou que serviço melhorou após a gestão atual. “O SVO deu um salto de qualidade na gestão da prefeita Rosalba. A agente espera manter e melhorar cada vez mais esse serviço.”, afirmou Saudade.

Além de esclarecer mortes naturais, o SVO vem ajudando a Vigilância à Saúde do Município a desenvolver ações mais assertivas no combate/prevenção de doenças que estejam levando as pessoas a óbito.

A prefeita ainda reforçou que era preciso reconhecer o trabalho que os profissionais do SVO fazem na cidade. “Temos que reconhecer o esforço que o pessoal do SVO faz. Temos profissionais de referência. É fundamental que os estudantes, vereadores da CMM e a sociedade entendam o quanto é importante conhecer o trabalho feito no SVO.”, finalizou.

“Antes o diagnóstico era demorado. Tinha que levar profissionais da Secretaria de Saúde para fazer uma pesquisa e tentar fechar um diagnóstico da morte do indivíduo. Hoje com o SVO a realidade é outra. O resultado da morte sai logo depois da necropsia. O SVO tem uma grande importância porque investiga se a pessoa que chegou a óbito tinha alguma bactéria ou outra doença que venha a trazer algum prejuízo para a sociedade”, explica o diretor do SVO, Messias Câmara, como era feito o trabalho há anos atrás e como é hoje.

Messias Câmara ainda destacou que a gestão atual do Município vem dando uma atenção especial a unidade. “Aqui melhorou muita coisa, em 2016 era uma situação complicada. Não tínhamos praticamente nada. A partir de 2017 tivemos outra visão. Hoje temos mesa, geladeira, cadeira, recepção e uma sala do SVO bem estruturada.”, finalizou.

ATENDIMENTOS DO SVO DESDE SUA CRIAÇÃO

2016 – 36 Necropsias

2017 – 80 Necropsias

2018 – 160 Necropsias

2019 – 30 Necropsias (Até o momento)

Os corpos que devem ir ao SVO são daquelas pessoas que tiveram mortes naturais mal definidas, devendo haver a assinatura de um termo de liberação pela família. As mortes causadas pela violência, por exemplo, não se enquadram dentro do perfil do serviço.

Os vereadores Francisco Carlos, Izabel Montenegro, Aline Couto, Maria das Malhas, Tony Cabelos e Manoel Bezerra acompanharam a prefeita durante a visita.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*