Seminário alerta para violência sexual cibernética

 

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social e Juventude realizou nesta segunda-feira, 28, o III Seminário de Articulação Inter setorial, como continuidade das atividades da campanha 18 de Maio, alusiva ao combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. O evento fez um alerta para crimes neste sentido através da internet.

O psicólogo do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), Elton Ferreira, mostrou que os registros de casos de compartilhamento de fotos íntimas na internet aumentam 120% por ano. “Aliciamentos e assédio sexual de crianças e adolescentes são frequentes em salas de bate-papo, whatsapp e redes sociais. Os aliciadores agem despertando a atenção para as coisas que as crianças gostam”, destacou.

Segundo ele, as delegacias ainda não estão preparadas para este tipo de demanda, mas as denúncias são necessárias para o combate à prática. “As denúncias neste sentido podem ser feitas pelo disque 100 ou na Delegacia de Polícia Federal”, continuou.

De acordo com Marcela Vieira, coordenadora do CREAS, no local há registros de acompanhamento de 36 casos de crianças que já foram vítimas de abuso ou exploração sexual, sendo na maioria meninas. “Nós profissionais temos este desafio, de tentar garantir a integridade das crianças e dos adolescentes”, afirmou.

Por isso, ela explica que é importante que o alerta chegue à comunidade, aos pais. “Estamos realizando um trabalho nas escolas e nas Unidades Básicas de Saúde, tanto na zona urbana, quanto na rural, alertando sobre a violência sexual cibernética”, frisou Marcela Vieira.

Elton Ferreira destacou ainda que a maior arma contra o abuso e a exploração é a educação sexual adequada. “Ainda encontramos muitas barreiras neste sentido, como campanhas inadequadas. Mas os pais precisam conversar, passar confiança para seus filhos. É o silêncio que protege o agressor”.

O seminário contou com representantes de setores da Saúde, Educação, Ministério Público e Desenvolvimento Social, além do Conselho Tutelar e estudante da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e Universidade Potiguar (UNP).

A programação contou com apresentações culturais, como a do coral Mãos que Louvam, da Igreja do Nazareno, que apresentou na Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS), a música tema da campanha, “O meu corpo é um tesourinho” e o Pai Nosso.

DSC_020827-05-2018-Escolha de Rei e Rainha do MCJ2018- Luciano lellys (7)

DSC_0188

DSC_0125DSC_0092DSC_0043

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*