Tamanho da fonte

 Saúde
Quarta-feira - 24/11/2021

Ações do “Novembro Azul” são levadas a homens privados de liberdade

Por: Sayonara Amorim
Foto: SEAP/SMS

A Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou profissionais para a realização de ações do “Novembro Azul” no Complexo Penal Estadual Agrícola Doutor Mário Negócio (CPEAMN). As atividades fazem parte da campanha nacional de incentivo à prevenção ao câncer de próstata.

Quinze profissionais atuaram na ação com a realização de testes de HIV, Sífilis, Hepatite B e C, coleta de PSA, além de palestras sobre câncer de próstata e orientações gerais sobre saúde e higiene, para todos os internos da unidade. A ações fazem parte do calendário do “Novembro Azul”. Em outubro, uma campanha semelhante atendeu todas as internas do estabelecimento.

O projeto é coordenado pela Equipe de Saúde Prisional da Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró em parceria com a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), através do Ambulatório da Faculdade de Enfermagem, o Instituto Vida e Esperança (IVES), a Universidade Potiguar (UnP), a Associação de Portadores de Hepatites de Mossoró (APHEMO) e a Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP). Todos os 398 internos em regime fechado da unidade prisional foram atendidos nessa ação.

Durante a realização das ações do “Novembro Azul”, os profissionais também levaram orientações voltadas para o “Dezembro Vermelho”, campanha nacional de conscientização e ações de práticas voltadas à prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis. O mês foi escolhido por já fazer parte do calendário global de Combate à Aids.

EQUIPE

A equipe de saúde prisional do CPEAMN conta com médico, dentista, enfermeiro, psicólogo, assistente social e técnicos, totalizando oito profissionais atendendo aos internos do regime fechado masculino e feminino.

A SEAP tem incentivado e estimulado parcerias para atender à saúde prisional, a fim de realizar ações preventivas e evitar que os privados de liberdade precisem utilizar leitos de hospitais da rede pública.

 




Deixe seu comentário


0 Comentário(s)