Criadores do Polo Maísa são orientados para melhorar pecuária

O médico veterinário Igor Marcelus Lucas Lima, diretor de unidade do Programa de Febre Aftosa, participou de uma ação de acompanhamento de animais no Polo Maísa, zona rural de Mossoró, na manhã da última quinta-feira, 14. Nesse primeiro momento Igor disse que foi mais uma vista de instruções técnicas, mas que houve o atendimento a alguns animais.

“A visita foi mais de instruções técnicas. Eu ainda avaliei uma vaca que estava prenha, com gestação um pouco avançada e também uma avaliação clínica em três cavalos de diagnósticos”, frisou.

Igor Marcelus disse ainda que a ação também teve como objetivo orientar os produtores sobre vacinação, além da alimentação correta para os animais, entre outros pontos.

Visita foi para acompanhamento a animais e orientações para produtores. Foto: Cedida

“Orientações a respeito de vacinação crostidiose, de vacinação contra doenças reprodutivas, além de orientar na alimentação, separação de animais e também acompanhamento tanto sanitário e como reprodutivo desses animais”.

O médico veterinário revelou ainda que uma produtora de caprinos e ovinos disse que perdeu praticamente todo o rebanho. Segundo ela os animais começaram a morrer de forma muito rápida.

“Tinham um dos rebanhos que a produtora falou que criava caprinos e ovinos, mas que tinha perdido praticamente todo o rebanho porque os animais começaram a morrer subitamente. Fiz a orientação que essas mortes, provavelmente, foram por crostidiose e que esses animais morreram por falta de vacinação”, falou Igor.

O diretor disse que uma nova visita está programada para uma nova comunidade nos próximos dias para que a ação possa atingir mais produtores e criadores.

“A gente marcou uma nova visita em uma comunidade próxima reunir mais produtores e fazer uma orientação melhor e mais ampla com as dúvidas dos produtores e as respostas para essas dúvidas. Ainda não há uma previsão de data para essa nova reunião. Ela deve ocorrer nos próximos 10 dias”, concluiu o médico veterinário.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*